cão fantasiado

Investir não precisa ser chato!

Não tem quem não tenha passado por isso: (curtas) fases de altíssimo cuidado com o dinheiro, alternando com (longas) fases sem mal saber quanto gasta, quanto ganha e menos ainda, como vão os investimentos.

Interrupções da vida moderna.

Não tem ficado mais fácil. Vivemos em um mundo cheio de interrupções, movendo-se muito rápido. Isso não nos ajuda na disciplina de cuidar bem de coisas importante, como o próprio dinheiro. Se cuidar bem do próprio dinheiro é importante? Ô, se é! Sabe aquela história de “trabalha tanto que não tem tempo para ganhar dinheiro”? É mais ou menos por aí. Dinheiro bem investido = mais tempo para coisas importantes.

Decisões.

Essa “despriorização” ou adiamento constante do tema também se deve ao fato de que as alternativas para se investir bem hoje exigem alto grau de conhecimento e muita tomada de decisões. Junto com todas decisões, vem a responsabilidade e o peso. “Já não bastasse toda responsabilidade que tenho no trabalho e com a família, mais essa ainda? Será que tiro da renda fixa e aplico em ações? Que ações? E na Renda Fixa? Tesouro direto? E se der errado?” Isso causa extrema ansiedade em qualquer um!

Não decidir para esquecer.

Do outro lado ainda tem aqueles que, querendo fugir desta ansiedade gerada por ter que decidir onde colocar o dinheiro, deixam tudo na poupança e “esquecem”. Investem no CDB e “esquecem”. Deixam na conta corrente e “esquecem”. E só quando voltam àquela fase de cuidar bem do dinheiro percebem quão pouco ele rendeu.

Decidir é chato. Falar com Banco é chato. Não saber aonde isso tudo está te levando é chato. E fica pior quando já temos tanto para fazer, tanto para resolver.

Tem saída?

Três dicas bem simples para quem quer começar a olhar para o dinheiro. Se quiser ir mais a fundo, tem este outro post.

1 – Tenha objetivos claros.

Guardar dinheiro por guardar é como jogar video game sem passar de fase. Uma hora cansa! Ter objetivos claros, como aposentadoria, comprar um carro, viajar para a Europa, fazer um curso de gastronomia no Canadá, ajuda a manter o foco em investir bem.

2 – Peça ajuda.

Como falamos, tomar decisões sobre investimentos é uma árdua (em português claro: chata) tarefa e exige conhecimento. Transforme isso em um encontro. Todos sempre têm um amigo mais antenado, que conhece mais de finanças. Pague um almoço e tente desenhar uma estratégia e já deixe travado isso na agenda a cada três meses. Além de botar o papo em dia, você vai ter uma segunda opinião, custando um almoço.

3 – Acompanhe seu progresso.

Com um objetivo definido, tenha uma forma de acompanhar quanto você está se aproximando da sua meta. Pode ser um aplicativo, ferramenta, planilha ou papel de pão. O que importa é que você consiga enxergar quanto as suas economias te deixaram mais próximo do que você quer alcançar.

 

fale com warren

(Photo By Braydon Anderson)