moça no caiaque

FGTS, previdência privada ou faça você mesmo?

Cena 1: Você tem 20 anos e começou a trabalhar com carteira assinada. Aquele parente mais velho da sua família ficou super feliz por você e falou: “O bom é que agora você tem uma segurança com o FGTS”.

Cena 2: Você tem 20 anos. É freelancer. Arrumou vários jobs bacanudos e agora começa a ganhar um dinheiro extra. Um ente querido da família, super feliz por você, falou: “Agora tá na hora de fazer uma previdência privada”.

O que estas duas cenas têm em comum?

São recorrentes e parecem ter saído de um roteiro de filme B de terror! Ok, alguns filmes B de terror são tão ruins que chegam a ser legais, mas no caso das duas cenas acima, elas não são nada legais mesmo!

Vamos explicar.

Cena 1: O famoso FGTS

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) foi instituído em 1966 com a ideia de “amparar” os trabalhadores.

Os empregadores são “orientados” (eufemismo para obrigados) a depositar o valor correspondente a 8% do salário de cada funcionário em uma conta na Caixa Econômica Federal.

E o que a Caixa faz com os seus 8%?

Bom, eles administram “super bem” a sua grana. Ela vai render 3% ao ano mais a Taxa Referencial (TR) que em 2015 foi de 1,8%. Ou seja, 4,8% de rentabilidade ao ano.

Quer passar mal?

A inflação do ano passado foi de 10%, o que significa que a rentabilidade do seu FGTS não chegou NEM NA METADE DA INFLAÇÃO!!!

De fato o FGTS consegue ser pior do que a poupança, e olha que ela já é bem ruim.

Quer pular da ponte?

Enquanto isso, um título do tesouro está pagando mais de 13% de juros ao ano!

Vamos a um exemplo prático dessa diferença. Digamos que você tenha um salário de R$ 4 mil, contribuindo mensalmente com R$ 320,00. Ao final de 25 anos, com o retorno atual do FGTS, você teria R$ 185 mil e com o retorno atual de um título do tesouro você teria R$ 790 mil.

Esse é o FGTS.

É o governo te dando um carimbo de idiota de duas formas: uma ao não te dar o poder de decisão sobre o SEU dinheiro e outra é administrando pessimamente o SEU dinheiro para você.

Deprê, não!?

Cena 2: A tal previdência

Ah, o mito da previdência…fotos bonitas, pessoas felizes e aposentadas…a vida doce e sem amargura… pera lá…amargura maior é você ter colocado seu dinheiro numa previdência….

Por quê?

Taxa, taxa e taxa. Na maioria dos títulos de previdência você paga para entrar, paga para carregar e, se duvidar, paga até pra respirar.

Então o que na teoria seria uma vantagem interessante devidos a alguns benefícios fiscais, na prática vira um desastre.

Além disso, na maioria das vezes, você não pode selecionar os seus portfólios de investimento ou mesmo as datas para obtenção do benefício. E se você quiser sacar os recursos antes, provavelmente cairá em prazos de carência gigantes.

Em resumo:

  • Previdências são cheias de taxas: de entrada, de carregamento…
  • Você não pode sair antes do vencimento de um plano de previdência, pois a penalidade é enorme.
  • Se a empresa da previdência quebrar, você perde a grana e entra na justiça. Se o Warren quebrar, não faz diferença alguma, pois você é investidor de um fundo que tem um CNPJ próprio e fica separado de qualquer problema do Warren. Os cotistas do fundo vão escolher outro administrador e a vida segue feliz.
  • Rentabilidade: tem que garimpar bem para uma previdência bater, pelo menos, a poupança!
  • Imposto: esta poderia ser uma vantagem da previdência. Fazendo um PGBL, você posterga o pagamento de parte do imposto. Porém o PGBL só vale a pena se você fizer a declaração completa do seu IR para sempre.

Então chegamos ao faça você mesmo.

Você pode montar seu próprio plano de aposentadoria.

Vamos lá… digamos que você tenha 30 anos e queira se aposentar com 55, mantendo sua renda mensal que hoje é de R$ 4 mil.

Para isso você precisará juntar R$ 1,6 milhão! Esse dinheiro vai te pagar ao redor de R$ 16 mil por mês (dada uma rentabilidade mensal ao redor de 1%) e isso será o mesmo que os R$ 4 mil de hoje (dada uma inflação média de 5,9% ao ano). A inflação é um assunto longo, ela inclusive impacta posteriormente no seu rendimento mensal. Então leia este artigo para ficar por dentro.

Aí você pode dizer: “Ah… mas é impossível juntar R$ 1,6 milhão.”

Não é não!!!

Um portfólio bem construído e administrado, com 65% em Renda Fixa e 35% em Ações, tende a dar um retorno médio mensal de 1,22%. Investindo R$ 15 mil inicialmente e R$ 350 mensalmente neste portfólio, durante 25 anos, você chegará no 1,6 milhão!

“Opa, então nao preciso do Warren?”

Pode ser que não…que realmente você apenas precise de um empurrão, de alguém que facilite seu acesso a esse mundo financeiro e o deixe com vontade de investir bem! 🙂

 

fale com warren

(Photo By Kalen Emsley)